ADVENTO TEMPO DE VIGÍLIA E ORAÇÃO EM PREPARAÇÃO AO NATAL

Advento: Arcebispo de Braga convida a maior atenção com a realidade social

Agência Ecclesia

27 de Novembro de 2014, às 00:00

D. Jorge Ortiga (Arquidiocese de Braga/Joana Araújo)
D. Jorge Ortiga (Arquidiocese de Braga/Joana Araújo)

D. Jorge Ortiga propõe quatro palavras-chave para as semanas que antecedem o Natal

Braga, 27 nov 2014 (Ecclesia) – O arcebispo de Braga publicou hoje a mensagem para o tempo de Advento onde convida os diocesanos a estarem atentos à realidade social e a serem “companheiros de viagem” para fazerem a “experiência da parentalidade universal”.

“Poucas circunstâncias como o nascimento de uma criança têm o poder de transformar a vida e a identidade das pessoas”, escreve D. Jorge Ortiga na mensagem intitulada ‘Advento Social para Natal Cristão’.

O documento enviado à Agência ECCLESIA, o prelado explica que a “experiência da parentalidade universal”, que convida todos a fazer, é a experiência de um “olhar a perder-se no tempo para um menino que é ternura, paixão, reconciliação e esperança”.

Por isso, para cada uma das quatro semanas do tempo do Advento, que começa este domingo, o arcebispo de Braga, propõe o “património do cristianismo e da humanidade” em quatro palavras: “Descoberta; encontro; alegria e pão.”

D. Jorge Ortiga, sobre a ‘descoberta’, explica que o Advento é o “tempo para atingir o coração pela imaginação”, que é também “desejo, antecipação e o ensaio de novas realidades”.

O prelado interroga-se sobre a realidade de Portugal “sem a bravura nos navegadores e a ciência sem o rasgo dos visionários” ou a sociedade atual se cada um “não tiver também a imaginação dos grandes”.

Depois, os fiéis são desafiados a encontrarem-se e a redescobrirem o próximo – ” o vizinho, o colega de trabalho, o familiar” -, e a prever as suas “necessidades materiais e espirituais”.

“Uma sociedade que vive do anonimato está, ela própria, destinada ao esquecimento”, alerta o arcebispo de Braga, que convida cada um a saber o nome do seu próximo.

“Alegria” e “pão” são a terceira e quarta palavra propostas para o caminho que conduz ao Natal, revela a mensagem publicado no sítio online da Arquidiocese de Braga.

Para D. Jorge Ortiga, “dar” é o verbo da “alegria e tem efeitos multiplicadores” mas as pessoas têm de ter capacidade de o fazer “desinteressada e apaixonadamente”.

“Experimentamos uma alegria que nada nem ninguém nos pode oferecer”, acrescenta.

“Belém significa ‘casa do pão’”, por isso a Arquidiocese de Braga é desafiada a lembrar-se de “quem não tem pão”, de modo particular, “os pobres, marginalizados e sem-abrigo”.

“Mas também daqueles que, sendo ricos, falta-lhes algo”, observa recordando uma oração tradicional que se reza nas refeições: “Dai, Senhor, pão a quem tem fome e fome de justiça a quem tem pão”.

No final da mensagem D. Jorge Ortiga pediu ainda que o Advento “dê esta fome de justiça – até de justiça social” – para que a alegria na arquidiocese “seja completa”.

CB

 


Advento

Anúncios

Papa Francisco pede mudança na vida consagrada

Vida Consagrada: Papa pede coragem na «reforma de hábitos e estruturas»

Agência Ecclesia

27 de Novembro de 2014, às 13:35

DR
DR

Há «setores resistentes à mudança», disse hoje Francisco no Vaticano

Cidade do Vaticano, 27 nov 2014 (Ecclesia) – O Papa sublinhou hoje no Vaticano a importância da Vida Consagrada “não ter medo de reformar hábitos e estruturas”, numa audiência com membros da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica.

De acordo com a sala de imprensa da Santa Sé, Francisco destacou a importância das congregações religiosas e seculares privilegiarem na sua missão e carisma ações que “respondam ao que Deus pede hoje” para a humanidade, “para o seu Reino”.

E evitarem “estruturas que lhes dão falsa proteção e condicionam o dinamismo da caridade; costumes que os afastam do rebanho ao qual são enviados e os impedem de ouvir o grito daqueles que aguardam a Boa Nova de Jesus Cristo”, apontou o Papa argentino.

O encontro de Francisco com os membros da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica aconteceu a três dias do lançamento do Ano da Vida Consagrada.

Aquele organismo da Santa Sé, presidido pelo cardeal João Braz de Aviz, está atualmente reunido em plenário no Vaticano, com cerca de 80 participantes a abordarem o tema “Vinho novo em odres novos”, expressão retirada do Evangelho de São Marcos.

Na mensagem que deixou aos membros da Congregação, o Papa sublinhou alguns dos principais desafios que a Vida Consagrada atualmente enfrenta, como a falta de vocações, em parte devido “à sua pouca força de atração”, também “a resistência de alguns setores à mudança” e “o interesse por cargos institucionais e ministeriais em detrimento da vida espiritual”.

Francisco incentivou os consagrados a “escutarem os sinais do Espírito que abre novos horizontes, sempre a partir do Evangelho e inspirados na audácia criativa dos seus fundadores e fundadoras”.

Exortou-os também a prosseguirem um “caminho da renovação iniciado há 50 anos, com o Concílio Vaticano II”, de forma a poderem “avaliar as novidades à luz da Palavra de Deus e “escutarem as necessidades da Igreja e do mundo”.

O plenário da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica vai prolongar-se até este sábado e está inserido no Ano da Vida Consagrada.

Uma iniciativa convocada pelo Papa no contexto dos 50 anos do Concílio Vaticano II e, em particular, dos 50 anos da publicação do decreto conciliar sobre a renovação da vida consagrada.

Subordinado ao lema “Chamados a levar a todos o abraço de Deus”, o evento pretende até 2 de fevereiro de 2016 ajudar institutos religiosos e seculares a concretizarem três grandes objetivos:

“Fazer memória agradecida do passado”, “abraçar o futuro com esperança” e “viver o presente com paixão”.

Em Portugal, a coordenação das atividades está a cargo da CIRP – Conferência dos Institutos Religiosos de Portugal.

JCP

Povo Masai precisa do seu apoio para defenderem as suas terras tradicionais

Apoie os Masais

Assine a petição

Para o Presidente Jakaya Kikwete:

Como cidadãos de todos os cantos do mundo, apelamos para que o senhor se oponha a qualquer tentativa de remoção forçada dos Masais de suas terras tradicionais ou obrigue-os a saírem de seu lar para abrir caminho para os caçadores estrangeiros. Estamos contando com o senhor para se tornar um herói para o seu povo e impedir qualquer tentativa de mudar os direitos do povo Masai à terra contra a vontade deles.

Blurb_campaign13158 PostActionContent

Assinaturas recentes

  • 3 minutos atrás

    nadia marchi, Itália

  • 3 minutos atrás

    John, África do Sul

  • 3 minutos atrás

    kevin, México

  • 3 minutos atrás

    QUERELLOU Joel, França

  • 3 minutos atrás

    Tom Holloway, Reino Unido

  • 3 minutos atrás

    Shareefa Saleh, EUA

  • 3 minutos atrás

    Marina Elsel Cueva, Espanha

  • 3 minutos atrás

    alan gait, Reino Unido

  • 3 minutos atrás

    Sarah, Reino Unido

  • 3 minutos atrás

    ginger cosentino, EUA

  • 3 minutos atrás

    moussadeck boulegroun, França

  • 3 minutos atrás

    gianmaria mello rella, Itália

  • 3 minutos atrás

    TOIA, França

  • 3 minutos atrás

    Lourdes Caballero Maria, Espanha

  • 4 minutos atrás

    Schöller Monika, Alemanha

  • 4 minutos atrás

    De Backer thomas, Bélgica

  • 4 minutos atrás

    Igor Kirichek, Ucrânia

  • 4 minutos atrás

    Pauline Le Renard, França

  • 3 minutos atrás

    Cochet, França

  • 3 minutos atrás

    Mathilde Juban, França

  • 3 minutos atrás

    Juan García Sánchez, Espanha

  • 3 minutos atrás

    rosaria, Itália

  • 4 minutos atrás

    Maria, EUA

2.250.000
2.234.753

2.234.753 assinaram a petição. Vamos chegar a 2.250.000

O governo da Tanzânia descumpriu a promessa que ajudamos os Masais a conseguir. Vamos ajudá-los a juntar 2 milhões de assinaturas antes de um encontro com o primeiro-ministro sobre a defesa de suas terras sagradas!

Somos os anciãos da tribo Masai da Tanzânia, uma das tribos mais antigas da África. O governo acabou de anunciar um plano de remoção de milhares de Masais das nossas terras, para dar espaço para turistas endinheirados atirarem em leões e leopardos. E essa remoção forçada pode começar a qualquer momento.

No ano passado, quando a primeira informação sobre este plano vazou, quase um milhão de membros da Avaaz se uniram para nos ajudar. A atenção criada sobre o assunto forçou o governo a inicialmente refutar essa ideia e atrasar as negociações em torno deste plano por meses. Mas o presidente esperou até que a atenção internacional dimunuísse, e agora ressuscitou a ideia de tirar nossa terra de nós. Precisamos de sua ajuda novamente, com urgência.

O Presidente Kikwete pode não se preocupar conosco, mas ele mostrou que responde ao apelo da mídia global e da pressão pública! Pode ser uma questão de horas. Por favor, apoiem-nos na luta para proteger nossa terra, nossa gente e os mais majestosos animais do mundo e espalhem isso para todas as pessoas antes que seja tarde demais. Essa é a nossa última esperança.

— Os anciãos Masais do distrito de Ngorongoro

MISSÃO: Um projecto de felicidade

Alegria, oração, comunidade, são três temas para o GUIÃO JIM para o ano pastoral 2014-2015. Temas de reflexão, partilha e oração. “Há mais alegria em nós” é o primeiro tema que irá ser desenvolvido até o mês de dezembro 2014.. “Há mais oração em nós” é o segundo tema , para o trimestre de janeiro a março de 2015. O terceiro tema, para o trimestre de abril a junho de 2015 será  “Há mais comunidade em nós”. Estes três temas são, na prática, caminhos de ralização da missão, que é “um projecto de felicidade” como proposta fundamental para o ano Pastoral.

ALEGRIA, ORAÇÃO, COMUNIDADE…

ALEGRIA é o convite da missão a que o Papa Francisco nos convida seguindo a exortação apostólica Alegria do Evangelho . Os sínodos diocesanos que estão em curso, particularmente o de Lisboa, respondem a esse desafio em vista: “Transformação missionária da Igreja”, realizando “O sonho missionário de chegar a todos.

ORAÇÃO é essencial à missão. São os dois pulmões da evangelização, como diz o Papa Francisco. A missão nasce do encontro com Jesus, da oração, da escuta da Palavra de Deus.

COMUNIDADE é a expressão da fé Cristã. Somos uma Igreja “família de famílias”, “Igreja Família de Deus”, como concluiu o documento Igreja em Africa. “Sem Jesus e sem Igreja não há missão”, disse o Papa Francisco.
São portanto, estes três temas, essenciais à missão, que ocuparão os grupos JIM no seu itenerário formativo durante este ano pastoral.

Vem também tu…Participa!  Verás que aproveitarás bem o tempo e sobretudo encontrarás a Felicidade que procuras…

Para contacto: Ir. Beta almendra ou P.e Carlos Nunes, mccj jimsulmccj@gmail.com

caminhada limone

Novo Conselho Provincial 2014/017

Concilio Provincial 02 de Novembro 2014

A partir do dia 12 de setembro de 2014, a Província Europa tem um novo Conselho. Da direita para a Esquerda, Ir. Ida Colombo, superiora Provincial, Ir. Franca Venturi, conselheira, Ir. Lurdes Ramos, Conselheira, Ir. Celia Macho Cardinal, vice Provincial e Ir. Trindad, conselheira.

Ao novo Conselho desejamos as maiores bênçãos de Deus. Que São Daniel Comboni e as nossas primeiras Irmãs intercedam a Deus por todas as Irmãs da Província Europa e, sobretudo às Irmãs responsáveis pela Província que Deus dê muita sabedoria e santidade, para que sejam uma presença profética na Igreja Missionária na Europa (Espanha, Portugal, Inglaterra, França e Alemanha).