MENSAGEM DO PARA FRANCISCO PARA O DIA MUNDIAL DA PAZ 2015

Papa Francisco escolhe tema do Dia Mundial da Paz 2015
Papa Francisco escolhe tema do Dia Mundial da Paz 2015

Santo Padre escolheu tema relacionado à escravidão, uma realidade problemática, porém ainda atual

Da Redação, com Boletim da Santa Sé

“Não mais escravos, mas irmãos”. Este é o tema que o Papa Francisco escolheu para o 48º Dia Mundial da Paz, que será celebrado em 1º de janeiro de 2015. A informação foi publicada, nesta quinta-feira, 21, no Boletim da Santa Sé.

Essa será a segunda mensagem escrita por Francisco para o Dia Mundial da Paz. Em comunicado emitido hoje, o Pontifício Conselho da Justiça e da Paz explica que a escravidão ainda é uma realidade e representa um “golpe de morte” para a fraternidade universal. A fraternidade, aliás, foi tema damensagem de paz deste ano de 2014: “Fraternidade, fundamento e caminho para a paz”.

“A escravatura é uma terrível ferida aberta no corpo da sociedade contemporânea, é uma chaga gravíssima na carne de Cristo! Para a combater eficazmente, tem de se reconhecer, acima de tudo, a inviolável dignidade de cada pessoa”, informa o comunicado.

O Dia Mundial da Paz foi instituído por Paulo VI e é celebrado todos os anos no primeiro dia de janeiro. A Mensagem do Papa é enviada aos Ministros dos Negócios Estrangeiros de todo o mundo e indica também a linha diplomática da Santa Sé para o ano que se inicia.

Fonte: google

DIA DA FAMÍLIA

P. 1 EH 109 Sagrada FamiliaSAGRADA FAMÍLIA DE NAZARÉ ABENÇOA TODAS AS FAMÍLIAS DA TERRA

“Completaram-se os oito dias, para a circuncisão do menino, deram-lhe o nome de Jesus indicado pelo anjo antes de ter sido concebido no seio materno.

Quando se cumpriu o tempo da sua purificação, segundo a Lei de Moisés, levaram-no a Jerusalém para o apresentarem ao Senhor, conforme está escrito na Lei do Senhor:”Todo o primogénito varão será consagrado ao Senhor” e para oferecerem em sacrifício, como se diz na Lei do Senhor, duas rolas ou duas pombas”…Simeão tomou-o nos braços e bendisse a Deus dizendo: “Agora, Senhor, segundo a tua palavra, deixarás ir em paz o teu servo, porque meu olhos viram a Salvação que oferecestes a todos os povos,  Luz para se revelar às nações e glória de Israel, teu povo.”

Boa festa para todas as famílias católicas! Que a Sagrada Família de Nazaré abençoe todas as famílias da terra.

Ir. Lurdes Ramos

Notícias do Vaticano-Papa Francisco

Vaticano

Vaticano: Papa refere 15 «doenças» na Igreja no encontro de Natal com a Cúria Romana

Agência Ecclesia

22 de Dezembro de 2014, às 16:37

Francisco falou, por exemplo, de «alzheimer espiritual» e de «esquizofrenia existencial» ao apresentar os votos natalícios

Cidade do Vaticano, 22 dez 2014 (Ecclesia) – O Papa Francisco afirmou hoje que a Cúria Romana é como um “pequeno modelo de Igreja” que tem de se alimentar e curar para não ser “formalista”, apresentando um “catálogo” de 15 possíveis doenças que a podem afetar.

“Sentir-se imortal”, “martismo”, “petrificação mental e espiritual”, “excessiva planificação”, “má coordenação”, “alzheimer espiritual”, “rivalidade” e “esquizofrenia existencial” são algumas das “doenças” que, para o Papa, podem afetar na Cúria Romana.

“Uma Cúria que não se autocritica, que não se atualiza, que não procura melhorar está num corpo doente”, disse o Papa aos cardeais e superiores da Cúria Romana na audiência de apresentação de cumprimentos natalícios, recordando que ninguém é “imune” ou “indispensável”.

Na apresentação do “catálogo” das doenças ou tentações, Francisco referiu que a figura bíblica de Marta inspira o mal da “ocupação excessiva”, o “martismo”, que afeta os que estão “imersos no trabalho”, esquecendo que “descuidar o necessário repouso leva ao stresse à agitação”.

O Papa referiu-se aos colaboradores que têm um “coração de pedra”, que sofrem de “petrificação mental e espiritual”, perdendo a “serenidade interior, a vivacidade e a audácia” e se transformam em “máquinas rotineiras”.

Francisco referiu-se também o perigo do “Alzheimer espiritual”, que conduz a “uma diminuição progressiva das faculdades espirituais que, num largo ou curto espaço de tempo, provoca muitas desvantagens à pessoa tornando-a incapaz de desenvolver uma atividade autonomamente, vivendo num estado de absoluta dependência dos seus pontos de vista, muitas vezes imaginários”.

No discurso aos presidentes dos vários departamentos da Cúria Romana, Francisco referiu que quando a “aparência” ou as “cores das vestes e as insígnias” se tornam “o primeiro objetivo da vida” é sintoma da “doença da rivalidade e da vanglória”.

“É a doença que nos leva a ser homens e mulheres falsos e a viver um falso ‘misticismo’ e um falso quietismo’”, assegurou o Papa.

Francisco recordou ainda o perigo da “esquizofrenia existencial”, que “atinge muitas vezes aqueles que, abandonando o serviço pastoral, se limitam às coisas burocráticas, perdendo assim o contacto com a realidade, com as pessoas concretas”.

O Papa retomou, no encontro de Natal na Cúria Romana, a condenação das “murmurações” e dos boatos, considerando que corresponde a uma “doença de pessoas cobardes que, não tendo a coragem de falar diretamente, falam pelas costas”.

Ao enumerar 15 enfermidades que podem afetar a Cúria Romana, o Papa referiu também o perigo de “divinizar os chefes” que pode contagiar quem é “vítima de carreirismo”, a doença da “indiferença diante dos outros” provocada pela perda da “sinceridade e calor das relações humanas” e risco de permanecer com “cara de enterro”, falando com rigidez, dureza e arrogância”, sobretudo aos “considerados inferiores.

A “acumulação”, o “círculo fechado” e o “exibicionismo” foram outras doenças apontadas pelo Papa, afirmando Francisco que nesta última o apóstolo transforma o “serviço em poder”.

“Irmãos, estas doenças e tentações são naturalmente um perigo para todos os cristãos e para toda a Cúria, comunidade, congregação, paróquia, movimento eclesial, etc. e podem desenvolver-se tanto a nível individual como comunitário”, esclareceu o Papa.

“São doenças e tentações que enfraquecem o nosso serviço ao Senhor”, assegurou Francisco apresentando o “catálogo” como ajuda à preparação do sacramento da reconciliação nas vésperas do Natal.

PR


Papa Francisco


FELIZ NATAL!

“No princípio havia o Verbo; o Verbo estava em Deus; e o Verbo era Deus. No princípio Ele estava em Deus. Por Ele é que tudo começou a existir…O Verbo era a Luz verdadeira, que, ao vir ao mundo, a todo homem ilumina.” (Jo 1, 1-9)

DSC02098AS  IRMÃS MISSIONÁRIAS COMBONIANAS DESEJAM A TODOS OS AMIGOS/AS DO BLOG, UM FELIZ NATAL! E UM PRÓSPERO ANO 2015, COM MUITA PAZ, AMOR E SAÚDE. QUEREMOS RECORDAR QUE NO DIA 4 DE JANEIRO CELEBRAREMOS OS 50 ANOS DA NOSSA PRESENÇA EM PORTUGAL. HAVERÁ UMA CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA, PRESIDIDA POR DOM ELÍDIO LEANDRO, ÁS 11 HORAS DA MANHÃ, NA SÉ DE VISEU. GOSTARÍAMOS QUE TAMBÉM TU ESTIVESSES PRESENTE PARA TE JUNTARES À NOSSA ALEGRIA E ACÇÃO DE GRAÇAS.

Ir. Lurdes Ramos