MENSAGEM DO PAPA PARA A QUARESMA

Globalização da indiferença

Amados Irmãos e irmãs!humantraffic_widea1451597_846905475335284_2561326141971668669_n[1]

Tempo de renovação para a Igreja, para as comunidades e para cada um dos fiéis, a Quaresma é sobretudo um “tempo favorável” de graça (ef 2; Cor 6, 2). Deus nada nos pede, que antes não nolo tenha dado: “Nós amamos, porque Ele nos amou primeiro” (1 Jo 4, 19). Ele não nos olha com indiferença; pelo contrário, tem a peito cada um de nós, conhece-nos pelo nome, cuida de nós e vai à nossa procura, quando O deixamos. Interessa-Se por cada um de nós, o seu amor impede-Lhe de ficar indiferente perante aquilo que nos acontece. Coisa diferente se passa connosco! Quando estamos bem comodamente instalados, esquecemo-nos certamente dos outros (isto Deus Pai nunca faz), não nos interessam os seus problemas, nem as tribulações e injustiças que sofrem, e, assim, o nosso coração cai na indiferença: encontrando-me relativamente bem e confortável, esqueço-me dos que não estão bem! Hoje, esta atitude egoìsta de indiferença atingiu uma dimensão mundial tal que podemos falar de uma globalização da indiferença. Trata-se de um mal-estar que temos obrigação, como cristãos, de enfrentar.

Papa Francisco

Notícias dos povos indígenas do Brasil-CIMI

Brasília, 19 de dezembro de 2014

Boletim ‘O Mundo Que Nos Rodeia’

10 anos sem Dorothy Stang: para bispo muitos envolvidos não foram acusados

Depois de sucessivos julgamentos e até cancelamento de veredicto, acusados de serem mandantes do crime continuam soltos

Veja mais

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Acampamento Dom Tomás Balduíno resiste à reintegração de posse

MST

Desde outubro de 2014, 3000 famílias ocupam área de Senador, em Goiás, e exigem ser assentadas

Leia

Assembleia dos povos de SC reúne mais de 150 lideranças pela defesa dos direitos indígenas

Cimi Regional Sul

Primeira Assembleia indígena do estado aconteceu nessa segunda e terça-feira. Indígenas divulgaram documento com reivindicações

Leia

Indígenas Terena denunciam trabalho análogo à escravidão na região de Vacaria, RS

Cimi Regional Sul – Equipe Porto Alegre

Alimentação será descontada dos indígenas, que ficam em alojamento sem condições sanitárias

Leia

E mais:

Jornal
Porantim
Edição n º 369 – Outubro 2014

Terra é Vida – Guarani-Kaiowá reagem por seus territórios

Violência
contra os
Povos Indígenas
Dados 2013
Veja Vídeos

Tapajós, um rio em disputa – Às vésperas de perderem suas terras para mais uma megausina hidrelétrica estratégica para o governo federal, comunidades do Rio Tapajós, um dos mais preservados do país, preparam-se para defender o que é seu. Assista ao documentário produzido pela Agência Pública.

Ouça Rádio Potyrõ Edição nº898


Boletim produzido pela Assessoria de Imprensa do Cimi

imprensa@cimi.org.br 
Telefone: 61 21061650
SDS Ed. Venâncio III – Salas 309/314
Brasília – DF

unsubscribe from this list | update subscription preferences

O Papa Francisco nos dá o exemplo como acolher os pobres

Vaticano: Duches e barbearias para sem-abrigo prontas a funcionar

Agência Ecclesia

06 de Fevereiro de 2015, às 14:45

Francisco ofereceu 300 guarda-chuvas a quem dorme na rua

Cidade do Vaticano, 06 fev 2015 (Ecclesia) – O Papa Francisco vai distribuir 300 guarda-chuvas às pessoas sem-abrigo, através da Esmolaria Pontifícia, e oVaticano informou que a construção de três chuveiros e de um pequeno espaço de barbearia está concluída.

“Foi tudo feito com grande sobriedade e dignidade mas também com técnicas modernas: cada coletor tem água quente, dispensador de sabão e secador de mãos com ar quente que funciona por fotocélulas. Foi usada uma resina especial para o revestimento das paredes, facilmente lavável que garante a máxima higiene”, revela o Serviço de Informação do Vaticano (VIS)

As obras dos três chuveiros e do pequeno espaço para a barbearia foram “projetadas, dirigidas e executadas” por técnicos e funcionários dos serviços da Cidade do Vaticano.

Os chuveiros vão estar abertos todos os dias, exceto à quarta-feira, durante a audiência geral do Papa na Praça de São Pedro; às segundas-feiras, quintas-feiras e sábados, o “serviço e gestão” destes espaços é assegurado por voluntários da UNITALSI.

As pessoas sem-abrigo vão receber uma muda de roupa e um saco com toalha, sabonete, pasta de dentes, lâmina, creme de barbear e desodorizante, “de acordo com as diferentes necessidades”.

“A maior parte do material é oferecido gratuitamente por várias empresas e pessoas que, depois de terem ouvido falar deste projeto, quiseram partilhar os seus recursos”, explica o VIS.

O que faltar vai ser comprado pela Esmolaria Apostólica com o dinheiro dos pergaminhos das bênçãos papais.

O VIS informa ainda que o barbeiro funciona às segundas-feiras das 09h00 às 15h00 e o serviço é “garantido por vários voluntários barbeiros” bem como por estudantes finalistas de uma escola de cabeleireiro da capital italiana.

Nestes dois serviços que a Santa Sé disponibiliza por iniciativa do Papa Francisco, cada sem-abrigo vai ser recebida dependendo dos dias pelas irmãs da congregação da Madre Teresa de Calcutá, pelas irmãs que servem a Guarda Suíça, as Vicentinas e “muitos outros voluntários” de Roma que disponibilizaram “tempo e colaboração”.

“A pessoa que não tem a possibilidade de lavar-se é uma pessoa socialmente rejeitada e todos nós sabemos que um sem-abrigo não pode apresentar-se num local público como num bar ou num restaurante para pedir algo porque lhe é negado”, disse o esmoler pontifício quando instalaram os chuveiros.

D. Konrad Krajewski revelou também que o Para Francisco pediu também para serem distribuídos guarda-chuvas aos sem-abrigo e para atender a este pedido e necessidade vão reutilizar “300 guarda-chuvas esquecidos pelos turistas” que visitam os Museus do Vaticano, divulgou a Rádio Vaticano.

O pontífice argentino também quis assinalar o seu 78.º aniversário com a oferta de sacos-camas a cerca de 400 sem-abrigo de Roma, a 17 de dezembro de 2014.

CB/OC

No dia 8 de Fevereiro acenda uma vela contra o tráfico humano

O Movimento “Talitha Kum,” organização internacional contra o tráfico humano, pede que todas as pessoas sensíveis a este fenómeno horroroso, do nosso tempo seja banido, com adesão de todas as pessoas de boa vontade, acendendo uma vela no dia 8 de Fevereiro, contra tamanha barbaridade. O tráfico humano existe a nível internacional, também no nosso País, infelizmente, que deve ser denunciado e extirpado de todas as nações. É O DIA DE SANTA BAKITA, UMA SANTA SUDANESA, QUE TAMBÉM ELA NO SÉCULO XIX FOI VENDIDA  COMO ESCRAVA A UMA FAMÍLIA ITALIANA. Bakita mais tarde entrou nas Irmãs Doroteias de Schio, Itália, onde se santificou como “porteira” do convento. Ajuda-nos santa Bakita a lutar contra toda a forma de escravatura, em Portugal e em todos os países onde ela ainda existe. Ajuda-nos a promover a dignidade da pessoa humana e a lutar pelos seus direitos ao  trabalho, à casa,  à saúde, à educação, com dignidade e muito respeito.

Come già saprete l’8 Febbraio è la giornata contro il traffico di esseri umani. Noi Comboniane sosteniamo l’iniziativa di Talitha Kum…’accendi una luce contro la tratta’, speriamo che anche voi farete un click al sito http://www.a-light-against-human-trafficking per accendere una piccola luce di lotta e speranza!
http://a-light-against-human-trafficking.info/

A LIGHT AGAINST HUMAN TRAFFICKING
a-light-against-human-trafficking.info