Povos indígenas do Brasil defensores do meio ambiente

11709462_1142070242475969_8659438668677309704_n[1]Está a decorrer em Paris a cimeira internacional sobre as mudanças climáticas, quase todos os lideres mundiais estão a debater este grande problema para o futuro das novas gerações. Segunda a minha experiência de vida, que vivi 14 anos com os povos indígenas da Amazónia, são eles que têm a solução para o futuro da humanidade…apredamos deles a respeitar a “mãe natureza” sem ela não temos futuro. Deixem os governos de os perseguir e maltratar, eles nos podem e devem ajudar a resolver os nossos problemas de poluição contra o meio ambiente e contra o ecosistema, mares e rios. Estes povos milenares têm a sabedoria de respeitar a natureza, usufruindo das suas riquezas naturais (florestas, rios…) para seu autosustento sem a destruir. Sejamos humildes e sábios aprendendo com quem ama a VIDA. Respeitemos a natureza como fazem estes nossos irmãos/as das Américas, caso o não fizermos o futuro dos nossos filhos/as  e netos/as estará a meaçado.

Ir. Lurdes Ramos – jornalista

Brasília, 26 de novembro de 2015

Boletim ‘O Mundo Que Nos Rodeia’

Os efeitos da cana-de-açúcar na vida dos povos indígenas do Mato Grosso do Sul

Os interesses econômicos da indústria canavieira são um dos principais motivos que impedem o reconhecimento e a demarcação das terras tradicionais Guarani e Kaiowá pelo Estado brasileiro.

Veja mais

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Ocupação termina na Assembleia Legislativa do MS com indígenas reafirmando ações de retomadas

Assessoria de Comunicação – Cimi

PELO FIM DA CPI DO CIMI: “A situação não deixa saída a não ser a retomada dos territórios da gente”, disse Paulino Terena

Leia

32 anos depois, Marçal vive

Por Ruy Sposati, Assessoria de Comunicação – Cimi

Teria dito, pouco antes de sua morte: “sou uma pessoa marcada para morrer, mas por uma causa justa a gente morre”

Leia

Na Força dos Encantados

Por Egon Heck, Secretariado Nacional – Cimi 

Nas conversas com membros das delegações e nos debates de preparação das atividades, sentimos as motivações e a disposição das lideranças em mais uma semana de luta em Brasília

Leia

E mais:
Jornal
Porantim
Edição n º 375 – Maio 2015

Uma outra dança da chuva
Violência
contra os
Povos Indígenas
Dados 2014
Veja Vídeos

Indígenas do MS denunciam Estado brasileiro após atentado contra comunidade

Em Brasília, cerca de 25 lideranças e professores indígenas do Mato Grosso do Sul exigiram, da Advocacia-Geral da União (AGU), a revogação da Portaria 303/2012. Durante a manifestação, responsabilizaram o Congresso Nacional, a AGU e o Supremo Tribunal Federal pela onda de violência contra os povos indígenas no estado. Duas crianças estão desaparecidas desde o dia 24/6, depois de um atentado realizado por produtores rurais contra a comunidade Kurusu Ambá, no município de Coronel Sapucaia. Saiba mais: http://goo.gl/AzlMNs

Ouça Rádio Potyrõ
Anúncios

Papa Francisco homem de PAZ

    

Vaticano

África: Papa discursou na mesquita central de Bangui contra a violência «em nome de Deus»

Agência Ecclesia

30 de Novembro de 2015, às 08:02

(Lusa)
(Lusa)

Francisco desafiou católicos e muçulmanos ao diálogo pela paz

Bangui, 30 nov 2015 (Ecclesia) – O Papa visitou hoje a mesquita central de Bangui, capital da República Centro-Africana (RCA), e disse que cristãos e muçulmanos devem rejeitar qualquer ato de violência com justificação religiosa.

“Juntos, digamos não ao ódio, à vingança, à violência, especialmente aquela que é perpetrada em nome duma religião ou de Deus. Deus é paz, salam”, declarou.

Numa visita ao Bairro PK5 acompanhada por fortes medidas de segurança da força da ONU na RCA, Francisco saudou o imã Tidiani Moussa Naibi, considerando que a sua passagem por território centro-africano não estaria “completa” sem este encontro com a comunidade muçulmana.

“Cristãos e muçulmanos são irmãos. Devemos, portanto, considerar-nos como tal, comportar-nos como tal”, pediu.

A RCA procura sair da crise provocada pela coligação rebelde dos ‘Seleka’, que começou a atuar em 2012, com uma maioria islâmica e mercenários do Chade e do Sudão.

A chegada deste grupo ao poder levou à reação dos ‘antibalaka’, que combateram os rebeldes, de forma violenta, atingindo também os muçulmanos.

Francisco recordou estes acontecimentos recentes e a violência que “abalaram” o país, sustentado que “não se fundavam em motivos propriamente religiosos”.

“Quem afirma acreditar em Deus deve ser também um homem ou uma mulher de paz: cristãos, muçulmanos e membros das religiões tradicionais viveram juntos, em paz, durante muitos anos”, apelou.

O Papa assinala que qualquer pretensão de justificar religiosamente a violência “desfigura o Rosto de Deus”.

“Nestes tempos dramáticos, os líderes religiosos cristãos e muçulmanos quiseram erguer-se à altura dos desafios presentes. Tiveram um papel importante no restabelecimento da harmonia e da fraternidade entre todos”; observou.

A intervenção deixou elogios aos “inúmeros gestos de solidariedade” entre cristãos e muçulmanos, “acolhendo-os e defendendo-os durante esta última crise” na RCA e também noutras partes do mundo.

Francisco quis sublinhar a importância das eleições presidenciais marcadas para 27 de dezembro e das outras consultas previstas, esperando que as mesmas “deem ao país responsáveis que saibam unir os centro-africanos” em vez de representar apenas uma fação.

“Encorajo-vos vivamente a fazer do vosso país uma casa acolhedora para todos os seus filhos, sem distinção de etnia, filiação política ou confissão religiosa”, pediu.

O Papa espera que o processo de paz da República Centro-Africana possa ser um exemplo para todo o continente e “ajudar a extinguir os focos de tensão” presentes em vários países.

“Queridos amigos, convido-vos a rezar e a trabalhar pela reconciliação, a fraternidade e a solidariedade entre todos, sem esquecer as pessoas que mais sofreram com estes acontecimentos”, concluiu.

Fonte: Ecclesia

Continuar a ler “Papa Francisco homem de PAZ”

Povos indígenas no Brasil reivindicam seus direitos

Povos indígenas realizaram protestos de repúdio à PEC 215 em dez estados, além do DF ‏

Povos indígenas realizaram protestos de repúdio à PEC 215 em dez estados, além do DF

Para: ramos_lurdes@hotmail.com
Brasília, 13 de novembro de 2015 Boletim ‘O Mundo Que Nos Rodeia’ Povos indígenas realizaram protestos de repúdio à PEC 215 em dez estados, além do DF Cerca de quatro mil indígenas de povos de todas a
imprensa@cimi.org.br
De:  imprensa=cimi.org.br@mail96.atl51.rsgsv.net em nome de O mundo que nos rodeia (imprensa@cimi.org.br) Este remetente está na lista de confiança.
Enviada: sexta-feira, 13 de novembro de 2015 16:25:28
Para: ramos_lurdes@hotmail.com

Povos indígenas realizaram protestos de repúdio à PEC 215 em dez estados, além do DF

Brasília, 13 de novembro de 2015

Boletim ‘O Mundo Que Nos Rodeia’

Povos indígenas realizaram protestos de repúdio à PEC 215 em dez estados, além do DF

Cerca de quatro mil indígenas de povos de todas as regiões do Brasil paralisaram pelo menos 14 rodovias. Passeatas, ocupações e diversos rituais contaram com o apoio de quilombolas, catadores, comunidades tradicionais, movimentos sociais e artistas

Veja mais

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Cacica Eunice: “Disseram que a TI Morro dos Cavalos não era mais indígena porque a PEC tinha sido aprovada”

Instituto de estudos Latino-americanos da UFSC

Assista a entrevista onde a liderança da Terra Indígena Morro dos Cavalos comprova como uma invasão sofrida pela comunidade tem a ver com a PEC 215

Leia

Pataxó, Xikrin e Kayapó: unidos na luta pelos direitos indígenas

Por Egon Heck, Secretariado Nacional do Cimi

A forte investida contra os direitos indígenas está presente na estratégia de ataques simultâneos em diversos níveis, sendo uma delas a criação de Comissões Parlamentares de Inquéritos (CPI)

Leia

Organismos do Estado, MPF e instituições deverão ser acionados para oitivas da CPI do Genocídio

Assessoria de Comunicação – Cimi 

“A CPI do Genocídio é completamente diferente da CPI do Cimi, porque envolverá o Estado como instituição: Ministério Público Federal (MPF), Polícia Federal, Secretaria de segurança”

Leia

E mais:
Jornal
Porantim
Edição n º 375 – Maio 2015

Uma outra dança da chuva
Violência
contra os
Povos Indígenas
Dados 2014
Veja Vídeos

Indígenas do MS denunciam Estado brasileiro após atentado contra comunidade

Em Brasília, cerca de 25 lideranças e professores indígenas do Mato Grosso do Sul exigiram, da Advocacia-Geral da União (AGU), a revogação da Portaria 303/2012. Durante a manifestação, responsabilizaram o Congresso Nacional, a AGU e o Supremo Tribunal Federal pela onda de violência contra os povos indígenas no estado. Duas crianças estão desaparecidas desde o dia 24/6, depois de um atentado realizado por produtores rurais contra a comunidade Kurusu Ambá, no município de Coronel Sapucaia. Saiba mais: http://goo.gl/AzlMNs

Ouça Rádio Potyrõ

Boletim produzido pela Assessoria de Imprensa do Cimi

imprensa@cimi.org.br 
Telefone: 61 21061650
SDS Ed. Venâncio III – Salas 309/314
Brasília – DF

unsubscribe from this list | update subscription preferences

VIERAM PARA EVANGELIZAR

“HOJE dia de Festa

E nós viemos comemorar

50 anos já passaram

da chegada em Portugal.

As Irmãs Missionárias Combonianas

Vieram Evangelizar

Foi em Viseu que pararam

Para dali continuar.

Foi na cidade de Viseu

a primeira paragem

A segunda foi no Porto

Com muito amor e coragem.

As Irmãs Combonianas

com seu estilo e arte

Assim começou a missão (em Portugal) com a irmã Irene Duarte.

Natural de Viseu

foi a primeira a entrar

outros grupos se juntaram

Para evangelizar.”

Alcina (Lourosa)

DSC0217550 anos IMC celebração 2015DSC02195

ASSEMBLEIA ANUAL DO ANIMAG (Institutos Missionarios Ad Gentes)

Do dia 3 ao dia 6 de novembro, na cidade de Vila Real, nordeste transmontano, 46 missionarios e missionarias de vários Institutos Ad gentes, reuniram-se para avaliar, as acões missionárias organizadas em Portugal durante o Ano 2014/2015, e para eleger uma nova direção nacional.

Depois do Bem-Vindos à Diocese, pelo Bispo D. Amândio Tomas, o Bispo desenvolveu o tema: Família, Igreja e Nova Evangelização. Entre muitas outras mensagens o Bispo disse: “As missões populares são óptimas para chamar os jovens à Missão Ad Gentes…Na nossa Igreja falta uma consciência missionária…a Igreja é essencialmente missionária…por isso como o Pai me enviou Eu vos envio a vós, disse Jesus, cf. Jo 20, 21, a Igreja existe para seguir  Jesus”, concluiu.

Também houve uma tarde para conhecer a cidade de Vale Paços, onde vimos como se processa o azeite e o vinho. No final da tarde fomos ao santuário de Nossa Senhora da saúde, onde o Pároco com o povo nos ofereceu um jantar seguido de  magusto (castanhas).

Foram dias muito proveitosos, no ûltimo dia as várias zonas (1, 2, 3 e 4) programaram as acões missionárias para o Ano 2015/2016 para todas as Dioceses de Portugal.  Assembleia concluiu-se com a celebração Eucarística Presidida por D. Amândio Tomás.

Ir. Lurdes Ramos

DSC03123DSC03129DSC03131DSC03184DSC03189DSC03193