Papa Francisco homem de PAZ

    

Vaticano

África: Papa discursou na mesquita central de Bangui contra a violência «em nome de Deus»

Agência Ecclesia

30 de Novembro de 2015, às 08:02

(Lusa)
(Lusa)

Francisco desafiou católicos e muçulmanos ao diálogo pela paz

Bangui, 30 nov 2015 (Ecclesia) – O Papa visitou hoje a mesquita central de Bangui, capital da República Centro-Africana (RCA), e disse que cristãos e muçulmanos devem rejeitar qualquer ato de violência com justificação religiosa.

“Juntos, digamos não ao ódio, à vingança, à violência, especialmente aquela que é perpetrada em nome duma religião ou de Deus. Deus é paz, salam”, declarou.

Numa visita ao Bairro PK5 acompanhada por fortes medidas de segurança da força da ONU na RCA, Francisco saudou o imã Tidiani Moussa Naibi, considerando que a sua passagem por território centro-africano não estaria “completa” sem este encontro com a comunidade muçulmana.

“Cristãos e muçulmanos são irmãos. Devemos, portanto, considerar-nos como tal, comportar-nos como tal”, pediu.

A RCA procura sair da crise provocada pela coligação rebelde dos ‘Seleka’, que começou a atuar em 2012, com uma maioria islâmica e mercenários do Chade e do Sudão.

A chegada deste grupo ao poder levou à reação dos ‘antibalaka’, que combateram os rebeldes, de forma violenta, atingindo também os muçulmanos.

Francisco recordou estes acontecimentos recentes e a violência que “abalaram” o país, sustentado que “não se fundavam em motivos propriamente religiosos”.

“Quem afirma acreditar em Deus deve ser também um homem ou uma mulher de paz: cristãos, muçulmanos e membros das religiões tradicionais viveram juntos, em paz, durante muitos anos”, apelou.

O Papa assinala que qualquer pretensão de justificar religiosamente a violência “desfigura o Rosto de Deus”.

“Nestes tempos dramáticos, os líderes religiosos cristãos e muçulmanos quiseram erguer-se à altura dos desafios presentes. Tiveram um papel importante no restabelecimento da harmonia e da fraternidade entre todos”; observou.

A intervenção deixou elogios aos “inúmeros gestos de solidariedade” entre cristãos e muçulmanos, “acolhendo-os e defendendo-os durante esta última crise” na RCA e também noutras partes do mundo.

Francisco quis sublinhar a importância das eleições presidenciais marcadas para 27 de dezembro e das outras consultas previstas, esperando que as mesmas “deem ao país responsáveis que saibam unir os centro-africanos” em vez de representar apenas uma fação.

“Encorajo-vos vivamente a fazer do vosso país uma casa acolhedora para todos os seus filhos, sem distinção de etnia, filiação política ou confissão religiosa”, pediu.

O Papa espera que o processo de paz da República Centro-Africana possa ser um exemplo para todo o continente e “ajudar a extinguir os focos de tensão” presentes em vários países.

“Queridos amigos, convido-vos a rezar e a trabalhar pela reconciliação, a fraternidade e a solidariedade entre todos, sem esquecer as pessoas que mais sofreram com estes acontecimentos”, concluiu.

Fonte: Ecclesia

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s