Liturgia

5º Mistério Luminoso – A Eucarístia

«Quando chegou a hora, ele se pôs à mesa com os seus apóstolos e disse-lhes: Desejei ardentemente comer  a Páscoa convosco antes de sofrer; pois eu vos digo que já a não comerei  até que se cumpra no Reino de Deus”. 

Então, recebendo uma taça, deu graças e disse: “Tomai isto e reparti entre vós ; pois eu vos digo que doravante não beberei  do fruto da videira até que venha o reino de Deus”.  E tomou um pão, deu graças, partiu e deu-o a eles, dizendo: “Isto é o meu corpo que é dado por vós. Fazei isto em minha memória”.E, depois de comer, fez o mesmo com a taça, dizendo: “Essa taça é a da Nova Aliança em meu sangue, que é derramado por vós.”

Lc 22,14-20

O Convite

Solta-se a minha barca
ao ouvir o convite:
«Cruza para a outra margem!»

Sozinha, contigo
Mestre adormecido
A minha barca desliza
rumo às aguas profundas

O trigo no celeiro
Anhela à primavera:
«Semeado serei pão!»
Sussurra, sonhando o pequeno grão…

«Não há sementeira sem riscos!»
Avisa o semeador,
«de ser pisada, devorada, queimada…»
E, com gesto firme
lança a semente pelo ar.

Em balía do vento
O grão de trigo viu o caminho batido,
E o terreno pedregoso
E os passarinhos famintos
E no céu, o sol ardente
E que, no solo cresciam espinhos.

A tremer, abraçou-se à esperança,
E, adormeceu no coração da terra
À espera da primavera… e, das gavelas de espigas!
Por um grão de trigo que morre
O mundo inteiro se nutre de Deus.

                                                                                              mcb