ASSEMBLEIA INTERCAPITULAR-MADRID DE 2 A 4 DE MAIO DE 2014

SANTAS E CAPAZES SEGUINDO AS PEGADAS DE SÃO DANIEL COMBONI
CONTINUANDO A TECER UM ESTILO DE VIDA PROFÉTICO.
Dia 2 de Maio o tema a ser debatido: Espiritualidade e ministerialidade. No dia 3 de Maio o tema será: Comunidade e formação. No dia 4 Domingo será para dar informações sobre o andamento económico e das actividades missionárias da Província. A assembleia terminará com o almoço às 13h30 da tarde.
O objetivo da Assembleia deste ano é para transmitir os contéudos do documento do intercapítulo realizado em Novembro de 2013 em Verona-Itália. O tema principal deste documento é: reconciliação e diálogo.
A todas as irmãs da Província que participam, desejamos uma boa e frutuosa Assembleia.
Ir. Lurdes Ramos

assembleia das Irmãs da Província Europa 2012
Uma parte das Irmãs pertencentes à Província Europa. A maioria não está presente na fotografia

COMUNICADO DA CONFERÊNCIA EPISCOPAL DE MOÇAMBIQUE (C.M.E)

 

Às Comunidades Cristãs e a todos os homens e mulheres de boa vontade, paz e alegria no Senhor ressuscitado, aquela paz e alegria que o Senhor repetidas vezes desejou e deu aos seus discípulos.mozambique

1.   Introdução.

Dos dias 8 a 15 de Abril de 2013, nós, os Bispos Católicos da Conferência Episcopal de Moçambique, estivemos reunidos na Sede da Caritas Moçambicana, na I Sessão da Assembleia Plenária de 2013. Estiveram presentes todos Bispos Diocesanos e o Administrador Apostólico da Diocese de Pemba. Na sessão de abertura participaram alguns dos Bispos eméritos.

Neste clima de alegria pascal, queremos, por este meio, exprimir a nossa comunhão convosco, manifestar a nossa presença espiritual junto de vós e partilhar aquilo que foi o fruto da nossa reflexão e das nossas deliberações sobre alguns aspectos relevantes da nossa vida eclesial e social dos últimos tempos.

2.   Núncio Apostólico

No segundo tempo da Sessão de abertura, D. Lúcio Andrice Muandula, Bispo de Xai-Xai e Presidente da CEM, saudou a presença do Sr. Núncio Apostólico, D. António Arcari que, como de costume, veio cumprimentar os Bispos e transmitir uma mensagem de encorajamento sobre alguns temas importantes a serem submetidos à consideração da CEM. D. Lúcio agradeceu a presença e as palavras do Sr. Núncio Apostólico em sinal de comunhão com o Papa e a Igreja universal.

3.   Alegria eclesial

Manifestamos a nossa alegria, em primeiro lugar, pela Páscoa que em todas as nossas comunidades foi celebrada com renovada fé e esperança no Senhor Ressuscitado e, em segundo lugar, pela eleição e início do Pontificado do Papa Francisco. Os seus gestos e as suas primeiras palavras indicam-nos um novo rumo a seguir: devemos sair do nosso meio e ir ao encontro dos homens lá onde eles se encontram.

4.  Cheias

Durante o recente período das chuvas, mais uma vez as cheias assolaram a vida de milhares e milhares de pessoas em vastas áreas do Centro e do Sul do País. Algumas dezenas de pessoas perderam a vida; centenas de famílias ficaram sem abrigo, perderam os seus bens e os seus campos de cultivo; estragaram-se vias de comunicação, escolas, centros de saúde e tantas outras estruturas sociais.

Através das nossas Caritas nos seus variados níveis (paroquial, diocesano, nacional e internacional) e da ajuda humanitária de irmãos de outros Países, a Igreja fez-se presente aliviando o sofrimento dos que mais sofreram por estas calamidades. A Caritas continua a ajudar no reassentamento das populações.

Apelamos a todos os cristãos e pessoas de boa vontade para que não se demitam deste compromisso humano e cristão e que continuem a partilhar os seus bens matérias e espirituais com tantos irmãos privados dos seus pertences e que continuam a sofrer. A sua dor ainda não acabou. Às famílias enlutadas apresentamos os nossos mais sentidos pésames e consolação cristã. E aos defuntos as nossa oração pelo seu eterno descanso.

5.   A violência e o diálogo

Como pastores atentos à vida do seu rebanho, reflectimos sobre os últimos acontecimentos de Gondola e Muxungue, na Província de Sofala, mais entristecem a vida das populações. À luz da Sagrada Escritura e da nossa Tradição e ao escutarmos os gritos de povo que clama pela paz, justiça, verdade, liberdade e amor, reflectimos para discernir sobre o que está a acontecer para podermos dar uma palavra de conforto e de luz a todas as pessoas de boa vontade. Entristece-nos e a nossa consciência clama que as partes beligerantes são filhos da mesma pátria. Para iluminar as mentes preparámos e publicámos a Nota Pastoral “Não à violência, Não à guerra”, que enviámos a todas as comunidades e a todas as pessoas de boa vontade.

Em primeiro lugar continuamos a condenar toda classe de violência e o recurso às armas para resolvermos os nossos problemas sejam eles a que níveis forem. Em consequência condenamos a morte dos irmãos e o sangue dos mesmos, derramado pela violência de outros irmãos. Ao mesmo tempo apelamos a todos (dirigentes da nação e a toda a sociedade em geral) para que restabeleçam o método do diálogo e reafirmem o compromisso que assumiram no Acordo Geral de Paz.

6.  A Caritas Internacional

A convite da Comissão Episcopal da Caritas um delegado da Caritas Internacional apresentou-nos o Plano geral das Caritas nas suas linhas gerais e no seu Código ético do funcionamento para que cada Caritas se adapte localmente na sua organização e funcionamento. Este código baseia-se na Sagrada Escritura e em documentos recentes da Igreja, nomeadamente: a encíclica Deus caritas est; a Exortação pós sinodal Africae Munus; e Motu próprio sobre a Caritas Intima ecclesiae natura.

A partir dos apelos de emergência nas cheias de 2007 – 2008, o mesmo delegado partilhou as formas de profissionalização das Caritas e os desafios que as emergências nos apresentam.

7.   Revisão dos Estatutos da Universidade Católica

A UCM está a dar um contributo vital e qualificado para o desenvolvimento equitativo do País, formando quadros nacionais qualificados nas mais diversas áreas do saber. Contudo, tornou-se necessário rever os seus Estatutos.

Com a colaboração de um grupo de juristas, trabalhou-se na revisão e aprovação dos Estatutos da Universidade Católica de Moçambique que deverão ser apresentados brevemente à Santa Sé para a sua aprovação.

8.  Comissões Episcopais

Constituídas as Comissões Episcopais, na última reunião da CEM (Novembro 2012), coube-nos, este ano, apresentar e aprovar os respectivos Planos de Acção para o próximo triénio por cada um dos Presidentes das respectivas Comissões.

9.  Preparação da Sessão Plenária da IMBISA

A Sessão Plenária dos Bispos Católicos da África Austral realizar-se-á em Gaberon (Botswana), de 11 a 14 de Novembro de 2013. O tema do encontro será “A família, na situação actual: aspectos teológicos pastorais e sociais”

10. Acção de graças pelo Papa Francisco

Aproveitámos a ocasião, de estarmos todos reunidos, para celebrarmos solenemente a Eleição e o Início do Pontificado de Sua Santidade, o Papa FRANCISCO, na Paróquia de Santo António de Malhangalene de Maputo, com a presença de numerosos sacerdotes, religiosos, religiosas e leigos. Ao mesmo tempo, também quisemos manifestar a nossa mais sentida gratidão ao Papa emérito Bento XVI pelo seu profícuo Pontificado.

Celebramos estes acontecimentos eclesiais, em comunhão com toda a Igreja, reafirmando a nossa fé no mesmo Deus, Uno e Verdadeiro, Pai, Filho e Espírito Santo, e renovando a nossa obediência e fidelidade ao sucessor de São Pedro.

11. Ano da Fé dos Seminários Maiores

Para comemoração do ANO DA Fé dos Seminários Maiores de Moçambique, reunimo-nos no Seminário Interdiocesano de Santo Agostinho na Matola, onde, previamente à celebração, fomos iluminados por uma reflexão orientada por D. João Carlos Hatoa Nunes, Bispo auxiliar de Maputo, sob o tema: A Fé à luz dos Documentos Conciliares e do Catecismo da Igreja Católica.

Continuando esta comemoração, concelebramos solenemente a Eucarística com a presença dos Seminaristas Maiores dos Seminários Filosófico e Teológico, juntamente com aqueles do Seminário Propedêutico de Maputo, sem esquecer os numerosos sacerdotes, religiosos, religiosas e leigos que estavam presentes.

12. Diversos.

– A Comissão Episcopal para o Clero vai enviar um subsídio para “Dia de Oração pela Santificação dos Sacerdotes”, que se celebra anualmente na Solenidade do Sagrado Coração de Jesus.

– A Formação Permanente do Clero Diocesano será realizada por Províncias Eclesiásticas.

– A II Sessão Plenária da CEM deste ano realizar-se-á em Maputo, de 4 a 10 de Novembro de 2013.

Maputo, 15 de Abril de 2013

+ D. Lúcio Andrice Muandula,

Bispo de Xai-Xai e

Presidente da CEM

 

 

Uma assembleia rica de vida partilhada (Missionárias Combonianas)

Asamblea pro.2013 158“Simplesmente, fazer o que Ele faz: sê primeiro entre os teus irmãos no amor; não esperes ser amado, ama primeiro. Dá o primeiro passo.”

 Card. Jorge Bergoglio (papa Francisco) Vigília Pascal, 2013

Dar o primeiro passo na comunhão activa e autoimplicativa ao interno da Família Comboniana. Este um dos principais desafios saídos da nossa assembleia em Madrid, (irmãs missionárias combonianas, provenientes de Portugal, Espanha Inglaterra, França e Alemanha) onde estive de 2 a 7 deste mês de Abril.                                      

Desafio aceite em consequência da reflexão feita em conjunto com o responsável dos Missionários Combonianos em Portugal, Pe. Alberto Silva, e o responsável dos Leigos Missionários Combonianos a nível Internacional, o sr. Alberto de la Portilla, que participaram todo o tempo no encontro.

Na sua comunicação, o Pe. Alberto Silva sublinhou a importância do nosso testemunho como família comboniana, que nos torna mais coerentes e credíveis.

Por sua vez, Alberto de la Portilha deixou bem claro que enquanto outros Institutos e Congregações procuram caminhos de partilha do carisma com os Leigos, e as riquezas que daí possam advir para a propria compreensão do carisma, “ nós como combonianos devemos percorrer um caminho diferente: Comboni já concebeu o seu trabalho para a missão desde a catolicidade da Igreja, acima de países e também acima da vocação específica de cada um, seja religiosa, sacerdotal ou laical, desde o início, coloca todos a trabalhar, com as responsabilidades divididas por igual e cria equipes de leigos, padres, irmãs, pessoas de um e outro pais. Devemos isso à inspiração carismática Comboni na sua visão da Igreja Missionária além da sua intuição missionaria.” E acrescentou que  não conseguiremos entender o que significa ser combonianas/os se não nos damos espaço mutuamente na reflexão e partilha de vida concretas.

Uma assembleia rica de vida partilhada, de intuições que apontam caminhos novos ao ritmo da missão como comunhão. Comunhão de identidades especificas qAsamblea pro.2013 160ue crescem ao relacionar-se mutuamente, que se tornam sacramento daquele Deus que é família que de  todos vai à procura, para incluir e tornar participantes do Seu Amor. 

Um obrigado de coração a todas e todos os que nos acompanharam com amizade e a oração. O Senhor nos conceda de darmos o primeiro passo uns em relação aos outros para melhor o darmos até quem mais precisa de vida e da Vida em abundância.

Ir. Carmo Ribeiro