COMUNICADO DA CONFERÊNCIA EPISCOPAL DE MOÇAMBIQUE (C.M.E)

 

Às Comunidades Cristãs e a todos os homens e mulheres de boa vontade, paz e alegria no Senhor ressuscitado, aquela paz e alegria que o Senhor repetidas vezes desejou e deu aos seus discípulos.mozambique

1.   Introdução.

Dos dias 8 a 15 de Abril de 2013, nós, os Bispos Católicos da Conferência Episcopal de Moçambique, estivemos reunidos na Sede da Caritas Moçambicana, na I Sessão da Assembleia Plenária de 2013. Estiveram presentes todos Bispos Diocesanos e o Administrador Apostólico da Diocese de Pemba. Na sessão de abertura participaram alguns dos Bispos eméritos.

Neste clima de alegria pascal, queremos, por este meio, exprimir a nossa comunhão convosco, manifestar a nossa presença espiritual junto de vós e partilhar aquilo que foi o fruto da nossa reflexão e das nossas deliberações sobre alguns aspectos relevantes da nossa vida eclesial e social dos últimos tempos.

2.   Núncio Apostólico

No segundo tempo da Sessão de abertura, D. Lúcio Andrice Muandula, Bispo de Xai-Xai e Presidente da CEM, saudou a presença do Sr. Núncio Apostólico, D. António Arcari que, como de costume, veio cumprimentar os Bispos e transmitir uma mensagem de encorajamento sobre alguns temas importantes a serem submetidos à consideração da CEM. D. Lúcio agradeceu a presença e as palavras do Sr. Núncio Apostólico em sinal de comunhão com o Papa e a Igreja universal.

3.   Alegria eclesial

Manifestamos a nossa alegria, em primeiro lugar, pela Páscoa que em todas as nossas comunidades foi celebrada com renovada fé e esperança no Senhor Ressuscitado e, em segundo lugar, pela eleição e início do Pontificado do Papa Francisco. Os seus gestos e as suas primeiras palavras indicam-nos um novo rumo a seguir: devemos sair do nosso meio e ir ao encontro dos homens lá onde eles se encontram.

4.  Cheias

Durante o recente período das chuvas, mais uma vez as cheias assolaram a vida de milhares e milhares de pessoas em vastas áreas do Centro e do Sul do País. Algumas dezenas de pessoas perderam a vida; centenas de famílias ficaram sem abrigo, perderam os seus bens e os seus campos de cultivo; estragaram-se vias de comunicação, escolas, centros de saúde e tantas outras estruturas sociais.

Através das nossas Caritas nos seus variados níveis (paroquial, diocesano, nacional e internacional) e da ajuda humanitária de irmãos de outros Países, a Igreja fez-se presente aliviando o sofrimento dos que mais sofreram por estas calamidades. A Caritas continua a ajudar no reassentamento das populações.

Apelamos a todos os cristãos e pessoas de boa vontade para que não se demitam deste compromisso humano e cristão e que continuem a partilhar os seus bens matérias e espirituais com tantos irmãos privados dos seus pertences e que continuam a sofrer. A sua dor ainda não acabou. Às famílias enlutadas apresentamos os nossos mais sentidos pésames e consolação cristã. E aos defuntos as nossa oração pelo seu eterno descanso.

5.   A violência e o diálogo

Como pastores atentos à vida do seu rebanho, reflectimos sobre os últimos acontecimentos de Gondola e Muxungue, na Província de Sofala, mais entristecem a vida das populações. À luz da Sagrada Escritura e da nossa Tradição e ao escutarmos os gritos de povo que clama pela paz, justiça, verdade, liberdade e amor, reflectimos para discernir sobre o que está a acontecer para podermos dar uma palavra de conforto e de luz a todas as pessoas de boa vontade. Entristece-nos e a nossa consciência clama que as partes beligerantes são filhos da mesma pátria. Para iluminar as mentes preparámos e publicámos a Nota Pastoral “Não à violência, Não à guerra”, que enviámos a todas as comunidades e a todas as pessoas de boa vontade.

Em primeiro lugar continuamos a condenar toda classe de violência e o recurso às armas para resolvermos os nossos problemas sejam eles a que níveis forem. Em consequência condenamos a morte dos irmãos e o sangue dos mesmos, derramado pela violência de outros irmãos. Ao mesmo tempo apelamos a todos (dirigentes da nação e a toda a sociedade em geral) para que restabeleçam o método do diálogo e reafirmem o compromisso que assumiram no Acordo Geral de Paz.

6.  A Caritas Internacional

A convite da Comissão Episcopal da Caritas um delegado da Caritas Internacional apresentou-nos o Plano geral das Caritas nas suas linhas gerais e no seu Código ético do funcionamento para que cada Caritas se adapte localmente na sua organização e funcionamento. Este código baseia-se na Sagrada Escritura e em documentos recentes da Igreja, nomeadamente: a encíclica Deus caritas est; a Exortação pós sinodal Africae Munus; e Motu próprio sobre a Caritas Intima ecclesiae natura.

A partir dos apelos de emergência nas cheias de 2007 – 2008, o mesmo delegado partilhou as formas de profissionalização das Caritas e os desafios que as emergências nos apresentam.

7.   Revisão dos Estatutos da Universidade Católica

A UCM está a dar um contributo vital e qualificado para o desenvolvimento equitativo do País, formando quadros nacionais qualificados nas mais diversas áreas do saber. Contudo, tornou-se necessário rever os seus Estatutos.

Com a colaboração de um grupo de juristas, trabalhou-se na revisão e aprovação dos Estatutos da Universidade Católica de Moçambique que deverão ser apresentados brevemente à Santa Sé para a sua aprovação.

8.  Comissões Episcopais

Constituídas as Comissões Episcopais, na última reunião da CEM (Novembro 2012), coube-nos, este ano, apresentar e aprovar os respectivos Planos de Acção para o próximo triénio por cada um dos Presidentes das respectivas Comissões.

9.  Preparação da Sessão Plenária da IMBISA

A Sessão Plenária dos Bispos Católicos da África Austral realizar-se-á em Gaberon (Botswana), de 11 a 14 de Novembro de 2013. O tema do encontro será “A família, na situação actual: aspectos teológicos pastorais e sociais”

10. Acção de graças pelo Papa Francisco

Aproveitámos a ocasião, de estarmos todos reunidos, para celebrarmos solenemente a Eleição e o Início do Pontificado de Sua Santidade, o Papa FRANCISCO, na Paróquia de Santo António de Malhangalene de Maputo, com a presença de numerosos sacerdotes, religiosos, religiosas e leigos. Ao mesmo tempo, também quisemos manifestar a nossa mais sentida gratidão ao Papa emérito Bento XVI pelo seu profícuo Pontificado.

Celebramos estes acontecimentos eclesiais, em comunhão com toda a Igreja, reafirmando a nossa fé no mesmo Deus, Uno e Verdadeiro, Pai, Filho e Espírito Santo, e renovando a nossa obediência e fidelidade ao sucessor de São Pedro.

11. Ano da Fé dos Seminários Maiores

Para comemoração do ANO DA Fé dos Seminários Maiores de Moçambique, reunimo-nos no Seminário Interdiocesano de Santo Agostinho na Matola, onde, previamente à celebração, fomos iluminados por uma reflexão orientada por D. João Carlos Hatoa Nunes, Bispo auxiliar de Maputo, sob o tema: A Fé à luz dos Documentos Conciliares e do Catecismo da Igreja Católica.

Continuando esta comemoração, concelebramos solenemente a Eucarística com a presença dos Seminaristas Maiores dos Seminários Filosófico e Teológico, juntamente com aqueles do Seminário Propedêutico de Maputo, sem esquecer os numerosos sacerdotes, religiosos, religiosas e leigos que estavam presentes.

12. Diversos.

– A Comissão Episcopal para o Clero vai enviar um subsídio para “Dia de Oração pela Santificação dos Sacerdotes”, que se celebra anualmente na Solenidade do Sagrado Coração de Jesus.

– A Formação Permanente do Clero Diocesano será realizada por Províncias Eclesiásticas.

– A II Sessão Plenária da CEM deste ano realizar-se-á em Maputo, de 4 a 10 de Novembro de 2013.

Maputo, 15 de Abril de 2013

+ D. Lúcio Andrice Muandula,

Bispo de Xai-Xai e

Presidente da CEM